Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Oito em cada 10 brasileiros de 16 anos ou mais temem morrer assassinados, segundo pesquisa do Data Folha realizada em 84 municípios  do país com 100 mil habitantes ou mais. Dos entrevistados, metade acredita ser uma possibilidade real ser assassinado em um futuro próximo (até 12 meses), e, ao longo da vida, 20% dos entrevistados dizem que já foram ameaçados de morte. 


Neste contexto, 95% da população das grandes cidades brasileiras apoiaria a união de esforços de governos, Justiça e polícias em torno da construção de um grande pacto nacional pela redução dos homicídios no Brasil, articulando ações de todas as esferas (Federal, estadual e municipal). 

De acordo com Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Conselho de Administração do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, "a violência no Brasil chegou a proporções tão alarmantes que a sociedade demonstra, de forma muito explícita, o medo de que isso pode acontecer na vida de qualquer pessoa, a qualquer momento."

Durante o levantamento, foi constatado que a Polícia Militar é vista por 76% dos entrevistados como a principal responsável pela segurança pública do país. Na sequência, 71% entendem que essa é uma atribuição principalmente do governo federal. Independentemente da instituição de segurança, ou da esfera governamental, a população entende, de forma majoritária, que essa é uma atribuição do estado. 

Quase todos os brasileiros (91%) tem medo de ser vítima de violência por parte de criminosos, confirmando a forte sensação de insegurança. Como agravante, 62% também têm medo de ser vítima da violência por parte de policiais militares e 53% por parte de policiais civis. Ainda rejeitando a violência, 67% discordam da afirmação de que "as policiais deveriam ser mais agressivas em suas abordagens e suspeitos". 

A pesquisa ouviu mais de 1.300 pessoas de 16 anos ou mais em 84 municípios brasileiros com 100 mil moradores ou mais em todas as regiões do país. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]